Posts arquivados em Tag: Melissa De La Cruz

17 abr, 2012

[RESENHA] Blue Bloods #2: O Baile De Máscaras





Com o lançamento do terceiro livro da série Blue Bloods no mês passado, achei que seria muito legal poder compartilhar a minha opnião com vocês sobre o segundo livro e aí quando terminar de ler o terceiro fazer o mesmo, acho que isso não demorar muito.


No segundo livro da série Schuyler e seu melhor amigo, Oliver, vão para Veneza à procura do o avô da garota, que de acordo com sua falecida avó, é o único que pode ajudá-la vencer as criaturas mais temíveis e cruéis do seu mundo, os Sliver Bloods, Blue Bloods que se corrompream buscando poder, somente um Sliver Blood pode por fim à existência de um Blue Bood. Quando finalmente encontra seu avô, Schuyler vê todas as suas esperanças cairem por terra, seu avô não quer ajudar.

Quando Schuyler volta para Nova Iorque descobre que a detestável Mimi Force e sua melhor amiga, Bliss, estão ajudando com a preparação do Baile dos Quatrocentos, envento onde os jovens Blue Bloods serão apresentados a toda sociedade de vampiros. Mimi também planeja um baile de máscaras que acontecerá depois do evento exclusivo e nesta segunda festa surge um misterioso garoto, que mais tarde nós descobrimos quem é. Novos acontecimentos e uma chegada inesperada pode ajudar a adolescente a resolver os mistérios que cercam essa sociedade secreta.

Assim como o primeiro livro, a estória ainda podia ser desenvolvida melhor, sem o uso de tantas descrições de marcas de roupas, sapato, bolsa, quem usou, ou quem já vestiu algo parecido, ou o nome do estilista que fez… Enfim, acho que ela podia enxugar um pouco muito mais o enredo o livro e focar no que importa a trama , a parte realmente boa do livro só começa depois da página 100, o que para mim é um tremendo desperdício.

Blue Bloods – O Baile De Máscaras é um pouco melhor que o primeiro livro, já que não há tantas descrições nada necessárias e o fato de ter novas personagens a narrativa fica mais interessante, mas não é muito melhor que o anterior, então não crie tantas expectativas.

O final do livro é bem frustrante, bem típico de novela, quando o marido chega em casa e está com a mão na maçaneta da porta, enquanto a mulher está o traindo (não que termine assim, só um exemplo) o problema todo é que eu adivinhei um monte de coisas que acontecem bem antes de ler, e não me fez viver aquele turbilhão de emoções que eu adoro sentir quando estou “devorando” um livro.

O trabalho que a iD fez ficou especialmente bonito, eu amei a capa do livro e definitivamente é melhor que a original, que a meu ver ficou estranha e muito feia, não estou brincando, faça você mesmo(a) a comparação


Apesar de eu ter gostado do livro, assim como o primeiro ele merece três estrelas, espero que continue melhorando, quero poder dar cinco estrelas em alguma resenha e, sinceramente, poderia muito bem ser no próximo.











Título: Vampiros de ManhattanSérie: Blue Bloods
Livro: #2
Autora: Melissa De La Cruz
Páginas: 335
Tradutor (a): Rafael Spigel
Editora: iD

11 jan, 2012

[RESENHA] Blue Bloods #1: Vampiros de Manhattan



Faz bastante tempo que li este livro, em abril do ano passado, para ser mais exata, mas já tinha vontade de lê-lo muito antes disso, mas acabava sempre comprando outro e como havia recebido o segundo livro tive que pegar e ler!


Vampiros de Manhattan nos apresenta Shuyler de quinze anos aparentemente normal, é só aparentemente mesmo, porque nossa querida protagonista descobre, no decorrer do livro que ela é diferente das outras pessoas, ela tem sangue azul, literalmente falando. Isso porque ela é uma Blue Blood, ou para que todo mundo possa entender, ela é uma vampira (mais ou menos, revelações do livro dois), mas ela não descobre assim tão facilmente, Shuyler começa a perceber que manchas azuis aparecem em sua pele branquíssima, sua avó começa a falar de maneira diferente, dando pistas vagas sobre o que ela realmente é e, pasmem, que o cara mais legal da escola está notando-a, tudo isso tem uma ligação. Sangue.


Algumas coisas estranhas acontecem e isso acaba culminando no convite para que a garota participe do Comitê de Banco de Sangue de Nova Iorque, uma instituição de caridade de fachada, que serve na verdade para ajudar na instrução de novatos, contar para eles como são na realidade. É assim que Shuyler Van Allen descobre a verdade, como é a mecânica o mundo do qual faz parte, é assim que descobre como é que “funciona” a imortalidade dos Blue Bloods, com o sangue eles podem ativar as memórias de vidas anteriores.


Neste livros, vampiros são anjos caídos, aqueles que se revoltaram contra Deus e foram expulsos do paraíso, para continuarem vivos, tais criaturas precisavam de sangue humano, precisavam matar os Red Bloods (humanos), mas com o intuito de talvez um dia voltarem Blue Bloods são proibidos de drenar um humano, contudo corpos de vampiros tem sido achados completamente secos, e é dessa forma que a srta. Van Allen descobre que sua raça é vulnerável, que está sendo caçada, e que precisa fazer algo para impedir que mais mortes aconteçam.


Vampiros de Manhattan poderia ser uma história espetacular, pois é, poderia. No começo eu até conseguia relevar, mas com a evolução da história se tornou insuportável o fato da autora ser descricionista demais acaba por fazer a narrativa se tornar monótona. Melissa De La Cruz passa a maior parte do tempo descrevendo marcas de tudo quanto é possível, salões, lustres e edifícios do que prorpiamente focada na história. O fato de ter deixado algumas pontas soltas não significa nada, pois os mistérios desse livro não me abalaram nem um pouco, é como se eu já soubesse o que ia acontecer mesmo antes de ler, o que significa que é previsível. Só quase na metade do livro é que fiquei um pouco mais ávida pela leitura, a obra poderia ter sido muito “enxugada” pela autora antes disso.


Eu já li o segundo livro (em breve resenho aqui) e ele melhorou de forma considerável, mas ainda tem algumas coisas irritantes, de forma que, algumas pessoas dizem que a série é muito boa, mas eu não sei se é assim tão boa, a Melissa teria que melhorar muito a forma como escreveu os dois primeiros. A Editora iD vai lançar o terceiro livro ainda este ano, vamos ver como ele evolui, mas o que posso dizer é que tenho o pé atrás com essa série, isso sendo generosa.


O primeiro livro de Blue Bloods leva três estrelas, mais por causa da capa, que é linda demais, da diagramação e pela inovação, do que propriamente pelo contúdo que deixou a mim muito decepcionada.











Título: Vampiros de ManhattanSérie: Blue Bloods
Livro: #1
Autora: Melissa De La Cruz
Páginas: 336
Tradutor (a): Rafael Spigel
Editora: iD